AVALIAÇÃO DE PARÂMETROS CARDIOVASCULARES, METABÓLICOS E INFLAMATÓRIOS EM RATOS DE AMBOS OS SEXOS SUBMETIDOS À DIETA RICA EM FRUTOSE: Terapias farmacológicas e não farmacológicas

Resumo: As doenças metabólicas crônicas são um resultado comum do estilo de vida ocidental moderno, como mostrado pela atual prevalência de obesidade, resistência à insulina e síndrome metabólica (SM), que se correlaciona com o aumento do consumo de frutose e pode levar a doenças cardiovasculares. O papel da alta ingestão de frutose no desenvolvimento de condições que mimetizam a síndrome metabólica humana tem sido demonstrado principalmente em animais machos, no entanto, a extensão das alterações metabólicas induzidas por frutose em fêmeas permanece pouco compreendida. Além disso, estudos comparando os efeitos da frutose crônica em machos e fêmeas são inconsistentes. Assim, o papel da diferença de sexo no desenvolvimento das anormalidades metabólicas e cardiovasculares induzidas pela alta ingestão de frutose permanece pouco esclarecido. Nosso grupo vem estudando terapias alternativas para o tratamento farmacológico e não farmacológico de disfunções fisiológicas observadas em animais submetidos à alta ingestão de frutose e com privação de hormônios sexuais. Neste sentido o enalapril e a espironolactona, tem apresentado potencial terapêutico para melhora de parâmetros observados na síndrome metabólica como hiperglicemia, dislipidemia, ganho de peso, esteatose hepática, inflamação, hipertensão além de corrigir parcialmente anormalidades estruturais vasculares e reduzir a disfunção endotelial. Além disso, terapias não farmacológicas como o uso de Lactobacillus kefiri (Kefir) também tem se mostrado capaz de melhorar à resistência insulínica, inflamação e hipertensão em ratos machos o que não está bem elucidado em fêmeas com privação estrogênica. Assim, hipotetizamos que o tratamento de animais normotensos de ambos os sexos, submetidos à dieta rica em frutose, com enalapril, espironolactona ou kefir, possa prevenir ou melhorar os distúrbios cardiovasculares, metabólicos e, também, traga um efeito benéfico sobre o estado inflamatório apresentados neste modelo experimental.

Data de início: 2018-05-14
Prazo (meses): 60

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Doutorado Glauciene Januário de Sousa
Aluno Mestrado Mariana dos Reis Couto
Coordenador Nazare Souza Bissoli
Pesquisador Phablo Wendell Costalonga Oliveira
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105