PARTICIPAÇÃO DOS HORMÔNIOS SEXUAIS FEMININOS SOBRE A COTRATILIDADE MIOCÁRDICA.

Resumo: As doenças cardiovasculares são a primeira causa de morte no Brasil, segundo registros do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM). Desde 1984, a taxa anual de mortalidade por doenças cardíacas no Brasil é maior em mulheres no pós-menopausa do que em homens. Aproximadamente 12 % das mortes por infarto em mulheres ocorreram até os 49 anos e 88 %, acima dos 50 anos de idade (DATASUS, 2005). Notavelmente, as mulheres são protegidas contra as doenças do aparelho cardiovascular durante a vida reprodutiva, fato que tem sido atribuído aos hormônios ovarianos estrogênicos. Os hormônios sexuais femininos parecem ser fatores responsáveis por essa proteção, atuando direta e indiretamente sobre o sistema vascular e cardíaco (Stampfer et al., 1991). Em estudo anterior realizado em nosso laboratório avaliamos os efeitos da ausência dos hormônios sexuais ovarianos sobre a contratilidade miocárdica. A contratilidade miocárdica estava preservada nas fases iniciais após a ovariectomia (7, 15 e 30 dias), porém prejudicada 60 dias após ovariectomia em ratas jovens (Paigel et al. 2011).

Data de início: 2017-01-02
Prazo (meses): 48

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Doutorado Elis Aguiar dos Santos Morra
Aluno Doutorado Bruno Barcellos Jacobsen
Aluno Doutorado SAMYA MERE LIMA RODRIGUES
Coordenador Ivanita Stefanon
Vice-Coordenador Rogério Faustino Ribeiro Júnior
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105