Efeitos cardiovasculares induzidos pelo tratamento com óleos vegetais poli-insaturados em ratos.

Resumo: Diversos estudos clínicos e epidemiológicos têm demonstrado que populações com maior consumo dietético de ácidos graxos poli-insaturados ômega-3 (n-3) possuem menor risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares (de Lorgeril et al, 1999; Wang et al, 2006). Reforçando essas afirmações, estudos têm demonstrado que a mudança do hábito alimentar, com redução do consumo de um óleo pobre em n-3 e sua substituição por outro rico em n-3, em uma população da Costa Rica, promoveram redução do risco de infarto do miocárdio (Baylin et al, 2003; Kabagambe et al, 2005; Colon-Ramos et al, 2007). Em especial, no Brasil, as doenças cardiovasculares são altamente prevalentes, acarretando repercussões sócio-econômicas relevantes, como custos hospitalares elevados e aposentadorias precoces por invalidez. Recentemente, demonstramos (Ribeiro-Júnior et al, 2010) que o tratamento com óleo de soja por 15 dias, em ratos, foi associado a uma melhora da função inotrópica do ventrículo esquerdo, com aumento das atividades enzimáticas da Na+K+, ATPase e da miosina cardíaca, e da expressão proteica da SERCA 2a e do trocador sódio-cálcio. Este efeito não foi acompanhado de hipertrofia cardíaca ou de alterações na pressão arterial (in vivo). Estes resultados explicam, em parte, alguns efeitos cardioprotetores induzidos pelo óleo de soja, provavelmente pela presença de ácido alfa-linoleico presente neste óleo. No entanto, esse efeito seria restrito ao óleo de soja, ou poderia se estender também a outros óleos vegetais com níveis diferenciados de n-3?
Outras origens de ácido alfa-linoleico além do óleo de soja incluem o óleo de canola, o óleo de milho, o óleo de linhaça e o óleo de girassol. No entanto, os níveis de ácido alfa linoleico diferem (Alexander, 1998) sendo maior no óleo de linhaça (~75%), seguidos dos óleos de milho (~70%), girassol (~60%), soja (~50%) e azeite de oliva (~10%).
Portanto, o presente estudo visa comparar se a administração de óleos de linhaça, soja e azeite, os quais possuem níveis altos, moderados e baixos de ácido alfa-linoleico, respectivamente, altera de forma distinta a função cardiovascular de ratos.

Data de início: 2013-08-19
Prazo (meses): 48

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Doutorado Camila Almenara Cruz Pereira
Aluno Mestrado DIELI OLIVEIRA NUNES
Aluno Mestrado Gilson Brás Broseghini Filho
Aluno Mestrado MARITO AFONSO SOUSA COSTA SILVA
Colaborador Dalton Valentim Vassallo

Páginas

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105