AVALIAÇÃO DO RISCO CARDIOVASCULAR EM MULHERES SUBMETIDAS AOS TRATAMENTOS DO CÂNCER DE MAMA. PAPEL DO STRESS OXIDATIVO E FATORES PRÓ INFLAMATÓRIOS

Resumo: O tratamento do câncer de mama com quimioterapia e/ou hormonioterapia apresentam uma serie de eventos associados à cardiotoxicidade por drogas antineoplásicas. Dentre tais efeitos destacamos à ocorrência de um ciclo vicioso denominado estresse oxidativo-inflamação. Sobre o sistema cardiovascular o estresse oxidativo participa ativamente na promoção de danos celulares sendo por isso, considerado marcador importante da agressão causada pela quimioterapia.
Em relação aos fatores pró-inflamatórios, as citocinas dentre elas TNF- α, IL-1, IL-12, IL-18 e interferon-gamma (IFN-γ) associam-se intimamente com lesão cardiovascular e conseqüente desenvolvimento da doença cardiovascular. A disfunção mitocondrial e o estresse oxidativos são promotores e catalisadores do envelhecimento e doenças crônicas relacionadas através do aumento da expressão de citocinas pró-inflamatórias
Sabe se que o tratamento coadjuvante a quimioterapia com tamoxifeno, promove uma série de efeitos cardioprotetores apesar de não se conhece os efeitos desse fármaco sobre a liberação de espécies reativas e em conseqüência na relação estresse oxidativo/sistemas anti oxidantes e fatores pro inflamatórios que poderia justificar, ao menos em parte os efeitos protetores que promovem no sistema cardiovascular de mulheres submetidas ao tratamento quimioterápico.
Esse trabalho visa quantificar a atividade das enzimas antioxidantes e amrcadores proinflamatorios circulantes durante a quimioterapia e hormonioterapia com tamoxifeno.

Data de início: 2012-08-01
Prazo (meses): 24

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Mestrado FABRÍCIO BRAGANÇA DA SILVA
Coordenador Glaucia Rodrigues de Abreu
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105