Efeito do tratamento com o antioxidante mitocondrial específico, mitoquinona, sobre a reatividade vascular após infarto agudo do miocárdio em rato

Resumo: As mitocôndrias desempenham papel importante na manutenção da homeostasia cardíaca, principalmente fornecendo energia necessária para o acoplamento excitação contração cardíaca, bem como controlar as principais vias de sobrevivência e morte intracelular. Mitocôndrias saudáveis geram moléculas de ATP por meio de processo aeróbio conhecido como fosforilação oxidativa. Após o infarto agudo do miocárdio (IAM) ocorre prejuízo da fosforilação oxidativa, com consequente aumento de produção de espécies reativas de oxigênio (ERO´s) e notáveis eventos que acontecem ao longo de dias, semanas e meses, gerando modificação estrutural e geométrica no coração em reposta da nova condição de trabalho, levando ao prejuízo da função contrátil e desenvolvendo de modo progressivo à IC. As ERO´s estão associadas com arritmias e disfunção contrátil cardíaca. No entanto, não está totalmente esclarecido como as vias ERO´s mitocondriais influenciam na fisiopatologia da insuficiência cardíaca (IC).
Objetivo: Verificar a participação do estresse oxidativo mitocondrial, sobre a reatividade vascular de anéis de aorta torácica de ratos 7 dias após infarto agudo do miocárdio.
Material e métodos: Ratos Wistar Machos serão submetidos ao procedimento cirúrgico de oclusão permanente da artéria coronária esquerda para indução do infarto. Os animais do grupo controle serão submetidos ao mesmo procedimento cirúrgico, porém sem a oclusão arterial. Avaliaremos a participação do estresse oxidativo mitondrial, por meio do tratamento dos ratos com mitoquinona 10 mg/Kg/dia (MitoQ), via gavagem, durante 7 dias. Após a cirurgia os animais serão distribuídos em quatro grupos: Sham + veiculo (n=10), Sham+MitoQ (n=10), Infarto+veículo (n=10), Infartados+MitoQ (n=10). Após o período experimental de 7 dias serão realizados os seguintes procedimentos: Protocolo da hemodinâmica do ventrículo esquerdo para verificação do desenvolvimento da insuficiência cardíaca, o critério adotado para que os animais infartados sejam considerados como insuficientes foi a PDfVE ≥ a 15 mmHg. Protocolos de reatividade vascular, onde serão avaliados a vasodilatação dependente do endotélio com acetilcolina, vasodilatação independente do endotélio com Nitroprussiato, vasoconstrição por agonista α1 adrenérgico com fenilefrina, fatores endoteliais na via da NO com L-Name, fatores endoteliais na via da iNOS com o inibidor seletivo 1400W, avaliação do sistema antioxidante com Superóxido Dismutase 2, Catalase e Apocinina e avaliação da via do ácido araquidônico-ciclooxigenase com indometacina. Biologia molecular: avaliação da Expressão proteica da eNOS e sua forma fosforilada (peNOS) por Western Blot. Avaliar o estresse oxidativo vascular nos grupos estudados através da produção de H2O2 em ensaio bioquímico (Amplex Red), produção de superóxidos mitocondrial (Mitosox Red), concentração no plasma de malondialdeído, quantificação proteica da NAPDH oxidase (subunidade p22phox) por Western Blot, quantificação proteica de enzima antioxidante vascular (MnSOD) por Western Blot.
Estatística: o tratamento estatístico será pela análise de variância (ANOVA), uma e/ou duas vias. Quando a ANOVA apresentar significância estatística o teste post-hoc de Bonferroni será realizado. Os resultados serão considerados estatisticamente significantes para valores de p < 0,05

Data de início: 2021-06-01
Prazo (meses): 60

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Doutorado Carmen Castardeli
Aluno Doutorado Carolina Falcão Ximenes
Coordenador Ivanita Stefanon
Pesquisador Rogério Faustino Ribeiro Júnior
Pesquisador Aurélia Araújo Fernandes
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105