Avaliação dos efeitos cardiovasculares da exposição aguda e crônica à frutose.

Resumo: A frutose é um açúcar simples presente principalmente em frutas, no mel de abelhas, e usado como adoçante em alimentos industrializados (KHITAN;KIM,2013). Já se sabe que o metabolismo da frutose leva a dislipidemia, o que constitui um importante fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares (DCV) (MIRTSCHINK et al.,2018). Esse fato se torna ainda mais relevante quando associado aos estudo que demonstram que as DCVs constituem a principal causa de morte da atualidade (MALACHIAS et al.,2016) e, portanto, um importante assunto de saúde pública. O impacto da sobrecarga de frutose sobre o sistema vascular parece diferir entre os sexos, provavelmente devido aos hormônios sexuais circulantes (PABBIDI,2018) mas pouco se sabe ainda sobre os mecanismos envolvidos nessas diferenças. O presente projeto visa elucidar os efeitos da sobrecarga aguda e crônica de frutose sobre a função vascular de ratos machos e fêmeas.
Para atender aos objetivos do projeto, ratos Wistar de ambos os sexos sofrerão cirurgia de remoção das gônadas ou cirurgia fictícia com 6 semanas de idade e, após recuperação, receberão solução de frutose 10% (concentração semelhante à encontrada em bebidas industrializadas) ou água potável, durante 4 dias ou 12 semanas. Durante o tratamento, serão avaliados peso corporal, pressão arterial sistólica (por pletismografia de cauda), glicemia em jejum e ingesta de líquidos e ração padrão. Ao final do tempo de suplementação, os animais serão anestesiados e eutanasiados e também serão avaliadas a morfologia, a reatividade vascular (por miografia de arame) e a expressão proteica, das principais proteínas envolvidas nas vias de vasoagentes, de anéis isolados de aorta torácica e de artérias mesentéricas de resistência dos animais de todos os grupos.

Referências:

KHITAN, Z.; KIM, D.H. Fructose: A Key Factor in the Development of Metabolic Syndrome and Hypertension. Journal Of Nutrition And Metabolism, v. 2013, p.1-12, 2013. Hindawi Limited. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3677638/>.
MALACHIAS, M.V.B. et al. 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial: Capítulo 1 - Conceituação, Epidemiologia e Prevenção Primária. Arq. Bras. Cardiol., São Paulo, v. 107, n. 3, supl. 3, p. 1-6, 2016. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2016004....
MIRTSCHINK, P. et al. Fructose metabolism, cardiometabolic risk, and the epidemic of coronary artery disease. European Heart Journal, v. 39, n. 26, p.2497-2505, 2017. Oxford University Press (OUP). Disponível em: <https://academic.oup.com/eurheartj/article/39/26/2497/4107358/>.
PABBIDI, M.R. et al. Sex differences in the vascular function and related mechanisms: role of 17&#946;-estradiol. American Journal Of Physiology-heart And Circulatory Physiology, v. 315, n. 6, p.1499-1518, 2018. American Physiological Society. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/30192631>.

Data de início: 2021-07-05
Prazo (meses): 72

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Doutorado THIAGO FERNANDES DE OLIVEIRA
Aluno Doutorado Rakel Passos Simões
Aluno Mestrado Kevin Mesquita Silva
Aluno Mestrado KAROLINE ALVES ROSSI
Aluno Mestrado Lorraine Christiny Costa Sepulchro

Páginas

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105