AVALIAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO DE ÁCIDO ELÁGICO E DE ZINCO SOBRE A FUNÇÃO VASCULAR EM AORTA DE RATOS EXPOSTOS CRONICAMENTE AO CÁDMIO

Resumo: O cádmio é um importante poluente ambiental que tem sido associado às diversas doenças quando há intoxicação, incluindo aterosclerose o e hipertensão. A contaminação por cádmio pode ocorrer por meio de origens ocupacionais e não-ocupacionais.
Uma vez absorvido no organismo, devido a sua baixa excreção renal e sua alta meia vida, o cádmio sofre bioacumulação em vários órgãos e tecidos, podendo ocasionar doenças, como hipertensão, aterosclerose e vasculopatias, muitas vezes associadas a disfunção vascular induzida pelo metal.
A disfunção vascular observada após exposição ao cádmio é associada ao aumento do estresse oxidativo. Previamente, demonstramos que a exposição ao cádmio aumenta a pressão arterial e a reatividade vascular em artérias de ratos e camundongos, associado a um aumento do estresse oxidativo e redução da biodisponibilidade de NO, condições que predispõe à doenças cardiovasculares. Neste contexto, a terapia com antioxidantes parece ter papel importante na prevenção e tratamento da disfunção vascular produzida pelo cádmio em populações expostas a esse metal.
Trabalhos apontam que o ácido elágico, um polifenol encontrado em diversos alimentos, possui potente ação antioxidante, anti-inflamatória, além de reduzir a peroxidação lipídica. Assim, o consumo de alimentos ricos em ácido elágico ou a sua suplementação, pode ser uma estratégia para auxiliar na prevenção ou tratamento de doenças cardiovasculares associadas a exposição ao cádmio e os danos oxidativos causados pelo metal. Portanto, o presente projeto busca investigar se o tratamento com ácido elágico impede os danos vasculares em aorta e o aumento de pressão arterial induzidos pela exposição ao cádmio em ratos.
Como mencionado anteriormente, a injúria vascular associada à exposição ao cádmio decorre, principalmente, do aumento do estresse oxidativo. Estudos demonstram que o cádmio parece reduzir a atividade de enzimas antioxidantes, como superóxido dismutase, calatase, glutationa peroxidase, etc, provavelmente por alteração nos sítios catalíticos compostos por metais divalentes nessas enzimas. No entanto, estudos também demonstram que esse efeito do cádmio sobre essas enzimas pode ser revertido pela administração de zinco.
Portanto, uma vez que nosso grupo de pesquisa já demonstrou que a exposição a baixas concentrações de cádmio induz uma importante disfunção vascular associada ao aumento do estresse oxidativo e também, aumento de pressão; a suplementação com zinco poderia ter um papel significativo na reversão dessa injúria vascular. Assim, à luz do exposto acima, o presente projeto também visa determinar o impacto da suplementação de zinco sobre os danos vasculares em aorta induzidos pela exposição crônica à baixa concentração de cádmio em ratos.

Data de início: 2021-06-28
Prazo (meses): 72

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Doutorado THIAGO FERNANDES DE OLIVEIRA
Aluno Doutorado Rakel Passos Simões
Aluno Mestrado Kevin Mesquita Silva
Aluno Mestrado Lorraine Christiny Costa Sepulchro
Aluno Mestrado KAROLINE ALVES ROSSI

Páginas

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105