Efeitos do Período de Separação Materna e do
Cuidado Materno no Momento da Reunião do Filhote
Isolado, sobre a Ansiedade, Depressão e Ataques de
Pânico na Vida Adulta

Nome: Ana Cristina Borges de Aguiar Bissoli
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 20/05/2015
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Luiz Carlos Schenberg Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Deborah Suchecki Examinador Externo
Ester Miyuki Nakamura-Palacios Examinador Interno
Luiz Carlos Schenberg Orientador

Resumo: Efeitos do período de separação materna e do cuidado materno no momento
da reunião do filhote isolado sobre a ansiedade, depressão e ataques de
pânico na vida adulta. Evidências abundantes sugerem que a separação materna
(SM) predispõe o indivíduo ao desenvolvimento de ansiedade e depressão na vida
adulta. Contudo, não está claro se esses efeitos resultam da separação materna em
si ou do excesso de cuidados maternos no momento da reunião do filhote separado
ao ninho. Portanto, o presente estudo examinou os efeitos de cuidados maternos e
do período da SM sobre a ansiedade e depressão na vida adulta. Para isto, filhotes
de ratos Wistar machos (n=106) foram submetidos à SM de 3 h diárias a partir do
segundo dia pós-natal (PN2) até o desmame em PN21 (n=40), ou à SM no período
hiporresponsivo ao estresse de PN4 a PN14 (SHRP, n=40). Destes, cerca de
metade dos filhotes foi reunida a uma mãe consciente e a outra metade a uma mãe
anestesiada, carecendo, portanto, dos cuidados maternos (carrear, carícias
anogenitais). Embora não tenham sido separados, os controles (n=16) foram sujeitos
a manipulação similar ao grupo separado ao longo da lactação. Após o desmame,
os ratos foram alojados em gaiolas individuais numa sala com temperatura
controlada e atenuação sonora com água e comida ad libitum e ciclo claro-escuro de
12 h (luzes acesas às 6:00). Quando adultos, os ratos foram avaliados quanto à sua
vulnerabilidade aos ataques de pânico experimentais à estimulação elétrica da
MCPA (PN62), à depressão nos testes de anedonia por consumo de sacarose (TCS,
PN67) e resiliência à natação forçada (NF, PN83), e à ansiedade nos testes do
labirinto-em-cruz elevado (LCE, PN74) e campo aberto (CA, PN75). O desempenho
dos ratos foi filmado e analisado offline. As diferenças foram consideradas
significativas ao nível de 5% de Bonferroni. Os resultados sugerem que (i) a SM não
tem efeito algum sobre a ansiedade de ratos adultos expostos ao LCE e CA; (ii) a
3
SM no SHRP aumenta os índices de depressão na NF e TA, (iii) a SM no SHRP
facilita o pânico experimental nos ratos adultos, (iv) a SM ao longo de toda a
lactação aumenta o prazer e a resiliência de ratos adultos expostos ao TA e NF,
respectivamente, (v) a SM ao longo da lactação resulta em ganhos maiores de peso,
(vi) o cuidado materno no momento da reunião tem efeitos pequenos isoladamente,
mas potencia a facilitação do pânico e da depressão nos ratos separados durante o
SHRP. Portanto, o presente estudo sugere que os efeitos da SM dependem
fortemente do período em que ela é realizada. Este é o primeiro estudo sobre os
efeitos da negligência materna no momento da reunião do do filhote isolado à ninhada
sobre a ansiedade, depressão e pânico na vida adulta.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105