CURTO PERÍODO DE EXPOSIÇÃO AO CHUMBO PROMOVE
AUMENTO DA BIODISPONIBILIDADE DE ÓXIDO NÍTRICO, VIA RECEPTORES AT2, E ATIVAÇÃO DE CANAIS PARA K+ EM AORTA DE RATOS.

Nome: Jonaina Fiorim Pereira de Oliveira
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 10/04/2015
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Dalton Valentim Vassallo Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Alessandra Simao Padilha Coorientador
Dalton Valentim Vassallo Orientador
Fausto Edmundo Lima Pereira Examinador Externo
Maria Jesus Alonso Examinador Externo
Nazare Souza Bissoli Examinador Interno

Resumo: O chumbo tem sido identificado como um fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. De fato, estudo prévio mostrou que sete dias de exposição ao chumbo aumentou a pressão arterial sistólica (PAS), diminuiu a reatividade vascular e aumentou a biodisponibilidade de óxido nítrico (NO) em aortas de ratos. Assim, o objetivo desse trabalho foi avaliar o envolvimento dos receptores AT2 no aumento da biodisponibilidade de NO e a participação dos canais para K+ em aorta de ratos expostos ao chumbo. Ratos Wistar foram tratados com acetato de chumbo por sete dias (1ª dose 4 μg/100g e doses subsequentes de 0,55 μg/100g im) ou veículo. O tratamento com acetato de chumbo reduziu a resposta contrátil à
fenilefrina (FE 0,1 nM 0,3 mM) e não modificou a resposta vasodilatadora à acetilcolina (ACh, 0.1 nM - 300 μM) e ao nitroprussiato de sódio (NPS, 0.01 nM - 0.3 μM) em aorta de ratos. O L-NAME (100 μM) aumentou a resposta vasoconstrictora induzida pela fenilefrina em ambos os grupos, mas este efeito foi maior no grupo
chumbo. A incubação com PD 123319 (1 μM), inibidor específico dos receptores AT2, aumentou a resposta vasoconstrictora induzida pela FE somente em aortas de ratos tratados com chumbo. A co-incubação PD 123319 (1 μM) e L-NAME (100 μM) aumentou a resposta contrátil à FE nas artérias de ambos os grupos e este efeito foi similar nos grupos controle e chumbo. Quando os anéis de aorta foram préincubados
com KCl (60 mM/L) ou incubados com TEA (2 mM), 4-aminopiridina (4-AP, 5 mM), iberiotoxina (IbTX, 30 nM) e apamina (0.5 μM) o relaxamento induzido pela ACh foi menor nos animais chumbo. Além disso, após incubação com a 4-AP e a IbTX o relaxamento induzida pelo NPS foi menor nos ratos tratados com chumbo.
Em adição, houve maior liberação local de NO no grupo chumbo. A presença de LNAME e PD 123319 normalizou a liberação local de NO nos animais tratados com chumbo. Em suma, os resultados do presente estudo sugerem o envolvimento dos receptores AT2 no aumento de biodispobibilidade de NO nos animais chumbo.
Como consequência, esse metal promoveu a ativação de canais para K+ e esse efeito poderia ser um mecanismo compensatório ao aumento da PAS.

Palavras-chave:chumbo, reatividade vascular, óxido nítrico, canais de potássio e
receptores AT2.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105