Atenuação do Reflexo Bezold-jarisch Após Tratamento Crônico Com Doses Suprafisiológicas de Decanoato de Nandrolona em Ratos Sedentários

Nome: Ana Raquel Santos de Medeiros Garcia
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 27/09/2007
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Nazare Souza Bissoli Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Nazare Souza Bissoli Orientador

Resumo: Os esteróides anabólicos androgênicos (EAA) são utilizados em diversas condições clínicas. Entretanto, o mau uso do EAA é comum e não está limitado a atletas profissionais, mas a maioria do abuso por EAA ocorre entre atletas amadores e recreacionais e, até não atletas.
Objetivo: investigar a influência do tratamento com EAA no controle da freqüência cardíaca (FC) mediada pelo reflexo Bezold-Jarisch (RBJ) e, se esse tratamento induz hipertrofia cardíaca e efeitos anabólicos nos ratos.
Métodos: ratos machos foram tratados com decanoato de nandrolona (DN; 10 mg/kg peso corporal/8 semanas; DECA) ou grupo controle (CON; veículo). Depois de oito semanas o RBJ foi avaliado pela resposta bradicárdica produzida pela administração de serotonina (2 - 32 g/kg). A pressão arterial média (PAM) foi avaliada e a hipertrofia cardíaca foi determinada pelo peso ventricular esquerdo ou direito/peso corporal (VE/PC; VD/PC, respectivamente). A quantidade de proteína corporal total dos animais foi realizada.
Resultados: tratamento com DN elevou a PAM dos animais DECA comparado ao grupo controle (CON = 99 ± 1; DECA = 109 ± 2 mmHg; p<0.01). Não houve alteração na média basal da FC nos animais DECA (CON = 356 ± 13; DECA = 367 ± 11 bpm). A razão VE/PC e VD/PC indicou hipertrofia significativa no VE e VD nos animais DECA (CON = 1.86 ± 0.04, DECA = 2.17 ± 0.04, p<0.01; CON = 0.42 ± 0.02, DECA = 0.53 ± 0.03 mg.g-1, p<0.05; respectivamente). O teor de proteína corporal total foi maior no grupo DECA comparados com os ratos controle (CON=18.2 ± 1%, DECA = 28.0 ± 1%; p<0.01). Nas duas últimas doses de serotonina o controle RBJ pela FC foi significativamente prejudicado nos ratos DECA (CON = -61 ± 4% e -76 ± 3%; DECA = -47 ± 4% e -66 ± 3%; p<0.01 e p<0.05, respectivamente).
Conclusão: o tratamento de oito semanas com DN induz efeito anabólico, hipertrofia cardíaca e aumento da PAM nos ratos DECA. O tratamento reduziu a sensibilidade do controle RBJ mediado pela bradicardia que pode ser explicada pela presença da hipertrofia cardíaca ou aumento da PAM nos animais DECA.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105