Efeitos da Sepse Sobre o Envelhecimento Vascular

Nome: GUSTAVO COSTA PINTO
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 03/09/2021
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Paula Frizera Vassallo Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Antonio Jose Camillo de Aguiar Examinador Interno
CECILIA GOMEZ RAVETTI Examinador Externo
DANIELA ORTOLANI Examinador Externo
Ivanita Stefanon Examinador Interno
Paula Frizera Vassallo Orientador

Resumo: A sepse é definida como disfunção orgânica, causada por uma resposta desregulada do hospedeiro à infecção, que acomete milhões de pessoas anualmente e o envelhecimento atua como importante fator de risco para pior prognóstico e desfecho clínico. Com isso, o objetivo do nosso estudo foi avaliar os efeitos da sepse sobre a reatividade vascular no contexto do envelhecimento em um modelo experimental de sepse estafilocócica, após 24 horas de sua indução, em camundongos da espécie Balb-c. Animais de 3 e 12 meses (3M e 12 M respectivamente) foram submetidos à incoculação intraperitonel de uma preparação de 150 μL com Staphylococcus Aureus sensível à meticilina (1,8 x 109 UFC/mL) para os grupos sepse (SP) ou tampão fosfato-salino (PBS) para os grupos controle (CT). A sespe aumentou a letalidade em ambos os grupos, sendo significativamente maior no de 12M, e aumentou os níveis plasmáticos de DNA livre circulante de forma similar. Foi observado redução no relaxamento vascular em curvas acetilcolina-dependentes nos grupos de ambas as idades, contudo, animais de 12 M submetidos a sepse apresentaram redução da reatividade vascular durante as curvas fenilefrina-dependentes, que não foi observado em animais sépticos com 3M. A incubação com L-NAME, inibidor da enzima óxido nítrico sintase (NOS), reverteu a hiporresponsividade das curvas fenilefrina-dependentes de animais com 12 M, o mesmo foi observado durante a incubação com de aminoguanidina, inibidor da enzima óxido nítrico sintase induzida (iNOS), sugerindo, a participação do óxido nítrico (NO) derivado da iNOS, no aumento do efeito anti-contrátil durante a sepse. A incubação com indometacina, inibidor da ciclooxigenase (COX), também reverteu a hiporresponsividade em curvas fenilefrina-dependentes, fortalecento a hipótese da presença de prostanóides vasodilatadores na redução da reatividade vascular à fenilefrina em animais de 12 M. Além disso, a incubação com tempol, mimético da superóxido dismutase (SOD) e losartan, antagonista de receptores de angiotensina 1 (AT1), reduziram ainda mais as respostas vasoconstritoras observadas durante as curvas fenilefrina-dependentes em animais de 12 M, sugerindo a presença de espécies reativas de oxigênio (EROS) e atividade do sistema renina angiotensina aldosterona (SRAA) em nosso modelo de estudo. Em conclusão, observamos que, a sepse estafilocócica, promove hiporresponsividade vascular à agentes vasoconstritores exclusivamente em animais envelhecidos por mecanismos que
envolve a produção de NO derivado da iNOS e prostanóides vasodilatadores da via COX . Esses achados, acrescidos da presença de produtos das EROS e do SRAA, podem contribuir para falência vascular e pior desfecho clínico observado.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105