CONSUMO DE ETANOL EM BINGE PREJUDICA A MEMÓRIA OPERACIONAL ESPACIAL DE RATOS ADOLESCENTES E JOVENS ADULTOS

Nome: Matheus Cavatti Santos
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 04/12/2020
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Lívia Carla de Melo Rodrigues Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Lívia Carla de Melo Rodrigues Orientador
Rosana Suemi Tokumaru Examinador Externo
Sonia Alves Gouvea Examinador Interno

Resumo: A desordem no consumo de álcool etílico (etanol) é um dos principais fatores de risco no desenvolvimento de transtornos neuropsicológicos. O desenvolvimento parcial e incompleto do sistema nervoso central na adolescência, especialmente do córtex pré-frontal (CPF), agrava o comportamento de consumo pesado e episódico de etanol, ou uso em binge. As áreas do CPF trabalham de maneira articulada para coordenar funções de alta complexidade como a memória operacional. A memória operacional funciona como um mecanismo que guarda informações temporariamente para modulá-las, no intuito de executar tarefas complexas como processamento da linguagem, aprendizagem e raciocínio. Sendo assim, este estudo é dedicado a compreender efeitos do consumo abusivo de etanol na memória operacional espacial de ratos, através do labirinto radial de oito braços (LR-8). Os animais foram primeiramente treinados no LR-8 para a realização das tarefas. Ao final das fases de treinamento, os animais que atingiram 0 ou 1 erro ao longo de três sessões seguidas estavam aptos para o início do tratamento. Foram assim divididos em dois grupos de acordo com o regime de tratamento, binge agudo ou crônico, e subdivididos em quatro grupos de acordo com as doses de etanol recebidas: controle (água destilada), 3g/kg, 6g/kg e 9g/kg de etanol por peso do animal via gavage intragástrica. Assim que o tratamento foi finalizado, os animais foram conduzidos para realizar os pré- e pós-retardos de 1h, e o número de erros em cada sessão foi analisado. No regime agudo, apenas o grupo que recebeu etanol em 6g/kg teve um prejuízo significante na tarefa de pós-retardo de 1h. Já no regime crônico, o grupo que recebeu 3g/kg de etanol apresentou significante redução no desempenho no pré-retardo de 1h comparado ao grupo controle, enquanto no pós-retardo, todos os grupos apresentaram um prejuízo significante comparado ao grupo controle. Os achados deste estudo revelam que o consumo abusivo de etanol causa prejuízos na memória operacional espacial de ratos jovens, especialmente quando esse consumo é crônico.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105