Influência dos hormônios sexuais masculinos sobre a reatividade vascular de artérias mesentéricas de terceira ordem: uma avaliação temporal

Nome: WENDER DO NASCIMENTO ROUVER
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 30/06/2020
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Roger Lyrio dos Santos Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Helder Mauad Examinador Externo
Jones Bernardes Graceli Examinador Interno
Nazare Souza Bissoli Examinador Interno
Roger Lyrio dos Santos Orientador
Virginia Soares Lemos Examinador Externo

Resumo: Os hormônios sexuais masculinos têm sido associados com risco de doenças cardiovasculares, porém essa relação não está completamente esclarecida. Estudos que buscam elucidar o papel dos andrógenos sobre reatividade vascular têm apontado divergências, principalmente acerca da participação desses hormônios relacionados a idade. Nossa hipótese é que a presença dos hormônios sexuais masculinos, no decorrer da idade, seja capaz de prejudicar a reatividade vascular. Diante disso, o objetivo deste estudo foi fazer uma avaliação temporal da reatividade vascular de artérias mesentéricas de terceira ordem, a fim de esclarecer a participação dos andrógenos na função vascular em ratos. Para esse estudo foram utilizados ratos Wistar e os protocolos realizados foram previamente aprovados pela Comissão de Ética no Uso de Animais da Universidade Federal do Espírito Santo (CEUA – UFES, número 07/2016). Animais com oito semanas de idade foram divididos em Sham e orquiectomizados (ORX), e foram avaliados 15, 30, 60 e 75 dias pós cirurgia. A reatividade vascular foi avaliada em artérias mesentéricas de terceira ordem. Para tanto, foram construídas curvas concentração-resposta à acetilcolina (ACh, 0,1 nM – 10 uM) em artérias previamente contraídas com fenilefrina (PE, 3 uM), antes e após o uso de inibidores da óxido nítrico sintase (NOS) (Nω-nitro-L-arginine methyl ester – L-NAME 300 uM) ou ciclooxigenase (COX) (indometacina – INDO 10 uM), de modo individual ou combinada. Também foram realizadas curvas concentração-resposta à PE (1nM - 100μM). As dosagens de óxido nítrico (NO), ânion superóxido (O2●-) e peróxido de hidrogênio (H2O2) foram realizadas no tecido vascular por meio da marcação fluorescente com 4,5-diaminofluorescein diacetate (DAF-2DA), 2', 7' dichlorodihydrofluorescein diacetate (H2DCF-DA) e dihydroethidium (DHE), respectivamente. As Análises histomorfométricas foram realizadas por marcação com Hematoxilina-Eosina e microscopia eletrônica de varredura nas artérias estudadas. Os parâmetros pressóricos foram avaliados por meio de medidas indireta (pletismografia de cauda) e direta (canulação da artéria femoral) da pressão arterial nas artérias estudadas. O grupo Sham-75d apresentou prejuízo no relaxamento dependente do endotélio comparado com os outros grupos Sham e ORX. Todos os grupos estudados apresentaram uma resposta vasodilatadora
independente da via dos prostanoides e dependente da via do NO, porém essa dependência parece ser menor no grupo Sham-75d. O grupo Sham-75d apresentou menor produção de NO e H2O2 e maior produção de O2●-. Embora os animais Sham-75d tenham apresentado diferenças morfológicas e funcionais nas artérias mesentéricas de terceira ordem em relação aos demais animais, não foi observado alteração na pressão arterial entre os grupos ao longo do tempo de observação. Nossos dados mostram que os hormônios sexuais masculinos parecem exercer um importante papel no desenvolvimento de alterações vasculares que pode levar a prejuízos na reatividade vascular de artérias mesentéricas o que poderia se relacionar com início das alterações cardiovasculares referente ao fator idade no sexo masculino.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105