Apocinina e espironolactona previnem o aumento de estresse oxidativo mitocondrial e da via da Nadph oxidase e melhoram a contratilidade miocárdica em ratas ovariectomizadas

Nome: SAMYA MERE LIMA RODRIGUES
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 06/05/2019
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Ivanita Stefanon Orientador
Rogério Faustino Ribeiro Júnior Co-orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Alessandra Simao Padilha Examinador Interno
Aurélia Araújo Fernandes Examinador Externo
Henrique de Azevedo Futuro Neto Examinador Externo
Ivanita Stefanon Orientador
Nazare Souza Bissoli Examinador Interno
Rogério Faustino Ribeiro Júnior Coorientador

Resumo: Este estudo teve como objetivo identificar se a produção das espécies reativas de oxigênio pela NADPH oxidase e mitocôndrias desencadeiam a disfunção nesse modelo de privação dos hormônios sexuais femininos por 60 dias. Foram utilizadas ratas Wistar, com ± 7 semanas de idade e divididas aleatoriamente em 4 grupos: Controle (Sham), ovariectomizada (Ovx), Ovx +Apocinina (Ovx + Apo) e Ovx + Espironolactona (Ovx + Espiro). Os resultados mostraram que a Apocinina foi capaz de prevenir o ganho de peso corporal e do ventrículo esquerdo (VE). O tratamento com Espironolactona não foi capaz de prevenir o ganho de peso corporal. O tratamento com Apocinina foi capaz de prevenir a redução da contratilidade miocárdica, induzida pela Ovx, medida em músculos papilares isolados contraindo isometricamente: grupo Sham: 605,4 ± 10,37 g - Ovx: 358,3 ± 21,23* g/ Ovx + Apo: 622,7 ± 18,69* g/g, p<0,01). O tratamento com Espironolactona também preveniu o prejuízo na contratilidade (Sham: 712 ± 14,31 g - Ovx: 281,3 ± 7,99* g/ Ovx + Espiro: 726,1 ± 4,39# g/g, p<0,01). O grupo Ovx apresentou resposta inotrópica positiva
ao Ca2+ e ao Isoproterenol que foi prevenida nos grupos tratados com Apo e Espiro: (Ca2+1,25 mM- Sham: 484 ± 20,52 - Ovx: 247 ± 12,23* g/ Ovx + Apo: 494 ± 32,40# g; Ovx + Espiro: 544,71 ± 57,06# g/g, p<0,01). A resposta ao Isoproterenol no grupo Ovx tratado com Apo foi semelhante ao grupo Sham e os animais Ovx não tratados apresentaram redução na resposta contrátil (Iso Log 10-3 M: Sham: 592,73 ± 26,59 - Ovx: 345,43 ± 31,12* g/ Ovx + Apo: 627,51 ± 21,44#; Ovx + Espiro: 666,12 ± 71,24# g/g, p<0,05). A expressão da proteína Serca 2a estava reduzida, e a expressão de fosfolambam (PLB) e Nox4 estavam aumentadas nos animais Ovx comparados com os Sham. Os tratamentos com Apo e/ou Espiro preveniram a redução da expressão da Serca 2a (Sham: 1,39 ± 0,12 - Ovx: 0,86 ± 0,05*/ Ovx + Apo:1,26 ± 0,08# - Ovx + Espiro: 1,28 ±
0,10# p<0,05) e preveniram o aumento nas expressões de PLB e Nox4 (PLB-Sham: 1,12 ± 0,06 - Ovx: 1,63 ± 0,08*/ Ovx + Apo: 0,99 ± 0,07# - Ovx + Espiro: 1,08 ± 0,06# p<0,05), (Nox4-Sham: 0,64 ± 0,05 - Ovx: 1,22 ± 0,15*/ Ovx + Apo: 0,64 ± 0,07# - Ovx + Espiro: 0,65 ± 0,10#, p<0,05). Os animais Ovx apresentaram maior produção de ânion superóxido quando comparados ao Sham e os tratamentos com Apo e Espiro preveniram tal aumento (Sham: 3,85 ± 0,40 – Ovx: 9,74 ± 1,03*/ Ovx + Apo: 4,16 ± 0,48# - Ovx + Espiro: 2,99 ± 0,21#, p<0,01). A taxa de respiração mitocondrial máxima em resposta aos substratos (glutamato + malato: G + M, palmitoil L-carnitina: PC e piruvato: P + M) das subpopulações IFM no Estado 3 se mostraram reduzidas no grupo Ovx vs Sham, e os tratamentos com Apo e Espiro preveniram tal redução nas subpopulações SSM no Estado 3 somente em resposta ao substrato G + M a taxa de respiração máxima se mostrou
reduzida nos animais Ovx vs Sham e os tratamentos preventivos com Apo/Espiro reverteram a redução da taxa de respiração máxima. No Estado 4 das subpopulações IFM e SSM a taxa de respiração máxima se mostrou aumentada nos grupos Ovx vs Sham na presença de todos os substratos e os tratamentos com Apo/ou Espiro preveniram este aumento. Houve redução na expressão dos complexos I, IV e III mitocondriais na subpopulação IFM dos grupos Ovx e os tratamentos com Apo/ou Espiro não foram capaz de reverter a redução (Complexo I: Sham: 0,96 ± 0,08-Ovx: 0,53 ± 0,08/ Ovx + Apo: 0,75
± 0,11*-Ovx + Espiro: 0,59 ± 0,08* µg - Complexo IV: Sham: 1,22 ± 0,17-Ovx: 0,80 ± 0,09*/ Ovx + Apo: 0,95 ± 0,09*-Ovx + Espiro: 0,70 ± 0,07* µg – Complexo III: Sham: 1,19 ± 0,17-Ovx: 0,79 ± 0,09*/ Ovx + Apo: 0,74 ± 0,09*-Ovx + Espiro: 0,73 ± 0,05* µg, p<0,05). Na subpopulação SSM do grupo Ovx + Espiro houve redução na expressão dos Complexos I, IV e III (Complexo I: Sham: 1,30 ± 0,18- Ovx: 0,99 ± 0,18/ Ovx + Apo: 1,07
±0,06-Ovx + Espiro: 0,93 ±0,09* µg, p<0,05 – Complexo IV: Sham: 1,30 ± 0,20-Ovx: 0,99 ± 0,13/Ovx + Apo: 0,86 ± 0,09*-Ovx + Espiro: 0,79 ± 0,08* µg, p<0,05 – Complexo III: Sham: 1,33 ± 0,19-Ovx: 0,99 ± 0,12/ Ovx + Apo: 1,08 ± 0,08-Ovx + Espiro: 0,02 ± 0,07* µg, p<0,05). A expressão das proteínas antioxidantes Mn-SOD e Catalase estavam reduzidas nas ratas Ovx vs Sham e os tratamentos com Apo ou Espiro preveniram sua redução. A expressão das proteínas mitocondriais Tfam e PGC1&#945; estavam reduzidas nos
grupos Ovx e os tratamentos com Apo ou Espiro preveniram tal redução. Nossos resultados demonstram que a ovariectomia aumenta o estresse oxidativo proveniente da NADPH oxidase e da mitocôndria. Os tratamentos com Apocinina e Espironolactona tiveram ação antioxidante e foram capazes de impedir o prejuízo na contratilidade miocárdica.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105