EXPRESSÃO GÊNICA DO mRNA FOSB, BDNF E DRD5 EM
SANGUE PERIFÉRICO DE DEPENDENTES DE ÁLCOOL E
CRACK-COCAÍNA

Nome: Quézia Silva Anders
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 15/02/2019
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Ester Miyuki Nakamura-Palacios Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Ester Miyuki Nakamura-Palacios Orientador
Fabiana Vasconcelos Campos Examinador Externo
Helena Maria da Silva da Costa Correa Pereira Caldas Examinador Externo
Sonia Alves Gouvea Examinador Interno

Resumo: O uso crônico de drogas tem sido associado com mudanças na expressão gênica no cérebro, produzindo mudanças nos circuitos neurais à longo prazo, resultando em comportamento compulsivo ou craving. Evidências sugerem que a droga pode induzir neuroadaptações complexas após a exposição e essas alterações são mediadas por um padrão dinâmico de regulação gênica. Tem-se relatado que as mudanças nos circuitos neurais começam após a primeira exposição, alterando a
expressão de genes importantes para o estado de dependência. Nós estudamos a expressão gênica do mRNA (ácido ribonucleico mensageiro) FosB (homólogo B do oncogene viral de osteossarcoma murino), BDNF (fator neutrófico derivado do cérebro) e DRD5 (receptor de dopamina D5) em pacientes dependentes internados para tratamento clínico. Para a análise molecular, foi coletado sangue periférico em tubo com anticoagulante e a extração de RNA dos linfócitos não passou de 2 horas após a coleta. O RNA foi usado para a síntese de cDNA (ácido
desoxirribonucleico complementar) o qual foi amplificado por PCR (reação em cadeia da polimerase) em tempo real usando o primer específico. Houve uma expressão reduzida de mRNA FosB visto o fold-change calculado ter sido de -1,15 em dependentes de crack-cocaína (CUD) e de -2,17 em dependentes de álcool (AUD) quando comparados a controles não dependentes. O tamanho do efeito gs de Hedge do Log FosB/Act foi de 0,66 (efeito médio de acordo com a convenção de Cohen) para o CUD e 0,3 (efeito pequeno) para o AUD. Entretanto,
houve um aumento da expressão dos mRNAs BDNF e DRD5 em ambos grupos CUD e AUD comparados aos controles. O fold-change da expressão de mRNA BDNF para o CUD foi de 2,25 e de 2,0 para o AUD, e o tamanho do efeito gs de Hedge do Log de BDNF/Act foi de 0,35 e 0,36 (efeitos pequenos para médios) respectivamente. O fold-change da expressão do mRNA DRD5 foi de 2,22 para ambos os grupos CUD e AUD, e o tamanho do efeito gs de Hedge do Log de DRD5/Act foi de 0,25 e 0,26 (efeitos pequenos), respectivamente. Esses dados sugerem que é possível a detecção de mudanças da expressão gênica de ocorrência central em linfócitos presentes no sangue periférico e estas mudanças
podem refletir as alterações moleculares que ocorrem nos circuitos neurais na dependência química.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105