INVESTIGAÇÃO DO CONSUMO DE ÁLCOOL, COCAÍNA E CRACK POR VÍTIMAS DE HOMICÍDIO NA REGIÃO METROPOLITANA DA GRANDE VITÓRIA - ES

Nome: Evandro Carlos Lebarch
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 28/08/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Ester Miyuki Nakamura-Palacios Orientador
Lívia Carla de Melo Rodrigues Co-orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Ester Miyuki Nakamura-Palacios Orientador
Henrique de Azevedo Futuro Neto Examinador Externo
Lívia Carla de Melo Rodrigues Coorientador
Maria Carmem Viana Examinador Externo
Sonia Alves Gouvea Examinador Interno
Suely Gomes de Figueiredo Examinador Externo

Resumo: Antecedentes: O uso de drogas de abuso é frequentemente relacionado à violência, mas não há estudos que tenham apresentado análises toxicológicas quantitativas em vítimas fatais na Região Metropolitana da Grande Vitóri, Espírito Santo. Objetivo: Identificar e quantificar álcool, cocaína e metabolitos, e crack através do seu produto de pirólise em vítimas de homicídios na Região Metropolitana da Grande Vitória.
Métodos: Trata-se de um estudo transversal, que examina a presença e as concentrações sanguíneas de álcool, cocaína e benzoilecgonina e anidroecgonina metil éster, como indicativo de uso de crack, em uma amostra de 485 de 976 vítimas de homicídios na Região Metropolitana da Grande Vitória do Espírito Santo - Brasil durante o ano de 2014.
Resultado: A grande maioria das vítimas (85,3%) foi de jovens com idade entre 18 a 40 anos. Uma alta proporção destas amostras (48,7%) mostrou somente álcool (25,8%) ou crack ou cocaína isoladamente (41,1%), ou uma mistura de cocaína e álcool (33,1%). Uma elevada porcentagem de crack ou cocaína foi encontrada em extremos de idades: em vítimas muito jovens, menores de 18 anos (73,3%) e entre
18 a 30 anos (52,7%), e em vítimas de idades mais avançadas, 51 a 60 anos (50%) e acima de 60 anos (66,7%). Embora em número menor (9,1%), a maioria das vítimas femininas foram positivas para drogas (54,5%), sendo que a metade (50%) destas apresentaram crack ou cocaína. As quantidades de álcool foram maiores em vítimas adultas e mais velhas, a cocaína foi mais frequente entre adultos jovens e o
anidroecgonina metil éster foi encontrada em vítimas mais jovens. A benzoilecgonina foi encontrada em maiores quantidades em mulheres.
Conclusão: Quase metade da amostra de vítimas de homicídio da Região
Metropolitana de Vitória apresentou drogas no sangue. Algumas delas,
especialmente os jovens ou mulheres, com concentrações sanguíneas muito elevadas de cocaína, benzoilecgonina ou anidroecgonina metil éster.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Maruípe, Vitória - ES | CEP 29043-900